Mensagens

A família em quatro gerações (pt_final)

foto
Texto Bíblico Gn. 2. 2.24 - Sl. 128. 4-6
 
INTRODUÇÃO
 
A família é muito mais ampla do que conhecemos. A família atual não é diferente da família do Antigo Testamento, sendo alterada apenas em alguns aspectos. A influência do contexto cultural às vezes pode mudar alguns aspectos, mas nunca a sua finalidade. Neste estudo nós vamos estudar a família em quatro gerações: a geração passada, a geração presente, a geração que está chegando e a geração que está passando. Nunca devemos esquecer que se hão temas que nunca perdem atualidade, sem dúvida um deles é a família. Essa instituição no fim do século XX sofreu profundas mudanças, aliás, ela sempre sofreu profundas mudanças e transformações ao longo de toda a história da humanidade, refletindo a nossa imagem de família.
Espero que ao longo de algumas segundas-feiras, os amigos e irmão poderão aproveitar e tirar alguns condimentos no que tange a família em todas as épocas.
 
Estudo de hoje:
 
IV. A VIUVA NAS QUATRO GERAÇÕES
 
            É evidente que não podemos abordar esse assunto em uma única geração, pois em todas elas existe e existiram viúvas. O que vamos abordar é o valor dessas abnegadas servas do Senhor, seja ela ainda jovem ou de mais idade, respeitando o direito de livre arbítrio de cada uma, a sua vontade e sua escolha.
 
  1. O cuidado com as viúvas.
 
 
a)     No Antigo Testamento
 
Salmos 68. 5 – Pai do órfão e juiz das viúvas: Deus executa juízo em favor das viúvas, cuidando para que elas recebam o alimento e as vestes que lhe façam faltas.
 
Deuteronômio 10.18 – Faz justiça ao órfão e a viúva: Nos campos plantados ficavam com as extremidades sem serem colhidos, afim de que as viúvas e outros pudessem vir respigá-los, isto é colher para seu sustento. (Deuteronômio 24.19-21).
 
b)    No novo Testamento
 
Na comunidade cristã primitiva: Desde os seus primórdios sempre se fez questão de não se esquecer das viúvas que quisessem fazer parte da igreja de Cristo, tanto é que houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus com respeito as suas viúvas que estavam sendo desprezadas no ministério cotidiano, devido o crescimento da igreja primitiva, Atos 6.1. Para tanto foram escolhidos os diáconos para cuidar das viúvas Atos 6.3; uma recomendação de Paulo a Timóteo em I Timóteo 5. 3: "Honrai as viúvas que verdadeiramente são viúvas".
 
Jesus honrou uma viúva: Em Lucas 21. 2-4 Jesus faz um elogio a uma viúva que dá tudo de seu sustento para a obra do Senhor. Logo entendemos que uma viúva nunca é demasiadamente pobre para não contribuir na casa de Deus.
 
  1. Viúva com um ministério.
 
 
a)     Persevere na oração de Dia e de noite
 
I Timóteo 5. 9 - "Não seja inscrita senão viúva que conte ao menos sessenta anos de idade, tenha sido esposa de um só marido”.
 
Porque sessenta anos? Por que, na Antiguidade uma pessoa era considerada velha a partir desta idade. Para alguns teólogos, essas ‘inscritas senão viúva’ eram constituídas como uma espécie de ‘Ordem das viúvas’, das quais se esperavam uma dedicação a oração e as boas obras.
 
b)    Como objeto de caridade
 
A viúva precisava ser aprovada com testemunho de boas obras, esta prática antes de se candidatar a receber benefícios da igreja e entrar na prática do ministério.
 
c)     Como exemplo de idoneidade
 
- A viúva deveria ter criado filhos, porque sem duvida as viúvas ajudavam a criar os filhos órfãos da comunidade, que era uma preocupação importante da igreja primitiva.
 
- A viúva deveria ter exercido a hospitalidade, isto é, deveria ter hospedado em sua casa os missionários, os profetas, os pregadores e mestres itinerantes que eram numerosos.
 
- Deveria ter lavado os pés dos santos, sinal de humildade e submissão. Lavar os pés era um sinal de cortesia para os cansados viajantes, executado pelo mais humilde escravo de uma casa. Assim sendo, não só acarretava em apenas hospitalidade, mas também em preparação para abnegação e serviços humildes.
 
- As viúvas deveriam ter socorrido os tribulados: Deus ainda conta com essas mulheres que para muitos é um fardo na igreja, mas elas são de grande valia na obra do senhor, precisamos saber recolher nossas viúvas e entender como elas são úteis para o serviço do mestre em plena arrancada final da igreja na face da terra.
 
  1. Viúva vigilante.
 
 
a)     Um princípio a ser seguido
 
A vigilância deve ser sempre constante na vida de uma serva do Senhor Jesus. No ministério dos apóstolos, encontramos uma referencia quanto à idade. I Timóteo 5. 9: ‘Nunca seja inscrita viúva com menos de sessenta anos e que tenha sido mulher de um só marido’.
 
a - Isso implica numa vigilância muito grande por parte de viúva na igreja: Mulher de um só homem. Se ele estivesse mais de um homem na vida não era digna de estar na ‘Ordem das viúvas’ conforme estudamos anteriormente, isso era para manter a seriedade que esta ordem exigia.
 
b - Isso também implica como sendo as viúvas: I Timóteo 5. 1: ‘Mães para as moças, como irmã, em toda pureza’.
 
c - Uma mulher viúva jovem na comunidade dos antigos, era recomendável casar-se, devido o deleite da vida, e isso tornava condenável conforme: I Timóteo 5. 6: "Mas a que vive em deleite, vivendo está morta". Leia ainda os texto do versículo 11 a 14. Logo então aprendemos porque da viúva vigilante. Ainda aprendemos neste mesmo capitulo no versículo cinco: “Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada, espere em Deus e persevere de dia e de noite”. Vigilância completa na ordem das viúvas. Que Deus levante mulheres como estas viúvas em nossas igrejas para ser mais uma das colunas que a igreja precisa.
 
b)     Conselheiras hábeis
 
Paulo faz uma recomendação muito especial a essas irmãs do passado, mas que tem um efeito nos dias atuais vejamos: I Timóteo 5. 4: ‘Mas se alguma viúva tiver filhos ou netos aprenda primeiro a exercer piedade  para com a sua própria família’. A obra de Deus tem lugar para todos independente de idade, cor, sexo, posição financeira e social, mas uma coisa é essencial, habilidade para exercer o ministério o qual Deus nos chamou. Queira Deus que as irmãs que são viúvas conservem a pureza e a beleza de uma vida casta perante Deus, porém, se isso não for possível, ore a Deus para que lhe de um companheiro segundo a direção do Espírito Santo, porque uma vez viúva está livre para contrair novas núpcias. Assim não haverá espaço para o inimigo de nossas almas operar no seio da igreja de Cristo que é a noiva eleita.
 
 
Conclusão
 
Esperamos que este pequeno estudo venha enriquecer a vida não só de nossas irmãs, mas da igreja que tem uma responsabilidade em cuidar das mais carentes, principalmente nos dias difícil que estamos atravessando, numa sociedade muito individualista, onde o “eu” prevalece. A família nas quatro gerações que estudamos, é composta desses diversos grupos que estão inseridos nas mais diversas culturas em todo o mundo.
O Conceito da família é universal, a fé praticada deveria ser de um mesmo modelo para todas, porem, não é assim. Como estudamos o importante é descobrir que tipo de adoração se praticava em cada época, sem nos preocuparmos com o seu estilo de vida, sua cultura, seus costumes e suas doutrinas.
Ao concluir mais este estudo, espero ter ajudado de alguma forma, os nossos queridos leitores. Que Deus nos ajude. Oremos pelas famílias e busquemos aquelas que precisam de nossa ajuda. Amém.
 
 
 
Jaime Bergamim
 
Bacharel em Teologia
Mestrado em Psicologia Pastoral
Pedagogo.
 

 

 


Outras Mensagens

Lista Completa

Templo


Rua dos Eucaliptos – Nº 732 – Jardim Eucaliptos – Colombo / PR – CEP 83408-485
Fone: (41) 3055-1922 | contato@adcolombo.org.br