Mensagens

A família em quatro gerações (pt_1)

foto
Texto Bíblico Gn. 2. 2.24 - Sl. 128. 4-6
 
INTRODUÇÃO
 
A família é muito mais ampla do que conhecemos. A família atual não é diferente da família do Antigo Testamento, sendo alterada apenas em alguns aspectos. A influência do contexto cultural às vezes pode mudar alguns aspectos, mas nunca a sua finalidade. Neste estudo nós vamos estudar a família em quatro gerações: a geração passada, a geração presente, a geração que está chegando e a geração que está passando. Nunca devemos esquecer que se hão temas que nunca perdem atualidade, sem dúvida um deles é a família. Essa instituição no fim do século XX sofreu profundas mudanças, aliás, ela sempre sofreu profundas mudanças e transformações ao longo de toda a história da humanidade, refletindo a nossa imagem de família.
Espero que ao longo de algumas segundas-feiras, os amigos e irmão poderão aproveitar e tirar alguns condimentos no que tange a família em todas as épocas.
 
Estudo de hoje:
 
I – A FAMÍLA NA GERAÇÃO PASSADA
 
1.     – Os dois gêneros de texto completamente sobre a família, na geração passada.
 
a)    Texto místico (devoto ou religioso) para a geração passada.
 
            Temos neste texto, como por exemplo, Genesis nos capítulos um e dois, tempo da narração da historia religiosa da criação e formação da primeira família.  No entanto no capitulo quatro de Gênesis, nós vemos o principio da constituição familiar, com a existência já do casal, e nascimento de Caim e Abel. Esse tempo remonta a 4000 anos que abrange a vida seminômade, tempo esse que não existia o estado, não existiu as organizações como atualmente, ou mesmo algumas do tempo passado, onde a agricultura era sedentária (sem muito êxito, lenta). Nesse período nós encontramos a família na geração passada que dava o primeiro passo para as futuras famílias que em hebreu é 'mishpahah', significando: tribo, clã ou povos (ver Js 7.14-18) iniciando assim o que chamamos hoje de famílias organizadas.
            A família na geração passada era inteiramente patriarcal. O pai era o senhor absoluto, decidindo até mesmo se o filho deveria viver ou não nos casos de desobediência Lv 20. 9, Pv 20. 20 e Ex 21. 15. Especialmente o Texto de Êxodo 21.15 que diz: "O que ferir seu pai e sua mãe certamente morrerá".
            Todavia podemos aqui dizer com certeza que a família foi de suma importância na organização das sociedades do Antigo testamento.
 
b)    Texto de legislação para a geração passada
 
            Os textos de legislação são os textos que tratam das Leis, ou seja, propriamente dito os Dez Mandamentos, que prescrevem determinados comportamentos em que deveria viver a família, uma vez que os Dez mandamentos foram dados como lei para regimento da nação. Embora que nem todos os Dez Mandamentos se refere propriamente a família.
            Ao longo do tempo e em cada época alguns dos textos bíblicos foram alterados ao que se considerava aceitável ou não, sendo que em cada época o povo de Israel encontrava maneira diferente de estruturar a família, não se trata de nós hoje de simplesmente copiarmos esses modelos, como se fosse eternamente válido para nossos dias. É interessante agora, procurarmos saber como em cada época e em cada modelo de família se procurava servir a fé em Deus, isso sim, é o bastante para conhecermos a verdadeira estrutura familiar na geração passada. O Seu modelo de fé, no obstante, deve ser o modelo para as demais famílias em todas as épocas, não desprezando as leis legislativas, tanto nos padrões bíblicos como nos padrões do Estado, uma vez que infringirmos uma lei estaremos cometendo pecado, desde que essa lei esteja dentro de um comportamento ético e moral ela é perfeitamente aceitável como regra e conduta de uma organização Estadual ou Federal. Como poderíamos afirma que a família é à base da sociedade se não vivermos em harmonias com as leis que a rege? Isso seria um absurdo.
 
 
2.    Condições que nos ajudam a entender a legislação no Antigo Testamento.
 
Conceito de pai na legislação da família passada:
 
            No aramaico a palavra 'Ab' é termo para estudo profundo, ele é usado para referir não somente ao pai, mas também ao avô e aos antepassados notáveis, como por exemplo, as conotações: Pai Abraão, Filho de Davi e Raiz de Gesse. O pai cumpria as obrigações sacerdotais. Religião e a família estavam amarradas com as mesmas fibras da Lei de Deus e da Legislação. Como acontecia em outros grupos humanos ao redor, entre os hebreus o pai além de sacerdote, era aquele que vigiava as relações entre as pessoas de sua casa e Deus (Jó 1.5).
 
 
3.    Conceito da Fertilidade
           
a)    Era considerada a essência da promessa divina ao povo de Deus, nesse caso o que dizia a lei que legislava esse conceito? Se um homem casado morria sem deixar filhos, seu irmão tinha a obrigação de casar com a viúva a fim de dar continuidade à descendência do irmão falecido, Dt. 25.5-10. Essa legislação obrigava a perpetuação da família e a memória do falecido.
           
b)  A mulher estéril podia dar sua escrava ao marido, para que essa desse filho ao marido, Gn. 30.1-13. Isso era perfeitamente aceitável dentro da legislação da família no passado, no entanto isso não se pactua como sendo uma lei divina, mas a legislação da época dava esse direito, o que era tolerado por Deus dentro da cultura da época. Igualmente, a esterilidade no conceito da família antiga era considerada como maldição, por esse motivo, toda mulher desejava ser mãe, como nós vemos no caso de Ana conforme o registro de I Sm. 1.1-8. Ainda em nossos dias a chegada de um filho é festejada por toda a família, principalmente quando é o primeiro filho do casal. O Lar sem filho é encarado como que faltando algo, e isso traz certa infelicidade para o casal, não quer dizer que o casal não é feliz, o que queremos dizer, é que o filho completa a felicidade do casal. O belo exemplo de Elcana, quando disse a Ana: I Sm. 1.8 "Não te sou eu melhor do que dez filhos?". Feliz é a esposa que por alguns motivos alheios a sua vontade, não pode ter filhos, mas que tem um esposo compreensivo, tal como Elcana. Em nosso tempo a esterilidade é encarada pelo povo cristão sem nenhum problema quanto a sua comunhão com Deus, o que no passado era diferente, mas a graça de Cristo nos remiu de toda maldição. Podemos ser feliz, mesmo com a madre cerrada. Porém, se você não se sente feliz dessa forma, e a medicina diz que não tem jeito, busque de Deus solução, aconselhe-se com seu pastor quanto a alternativas, como por exemplo, adotar uma criança, o que não é tão simples como muitos pensam. 
           
c)    As crianças estavam inseridas na família como aliança de Deus com Israel.
 
1.    O menino era circuncidado ao oitavo dia de vida;
2.    As crianças eram instruídas na Lei pelo pai no cotidiano do lar, Dt. 6.4-9;
3.    As crianças participavam nas celebrações da páscoa, sem nenhum problema, bem com as demais festividades religiosas;
4.    A obediência era ponto primordial aos pais e aos mestres;
5.    A disciplina como base da hierarquia, era imposta pela vara e o castigo corporal para disciplinar a criança – Pv 13. 24 e Pv 22.15.
 
Queremos aqui fazer uma alerta quanto ao uso da vara. A palavra expressada como castigar em PV 13. 24 referem-se sim como: advertir, admoestar, fazer sofrer, aplicar castigo, dar castigo.
Em outra versão encontramos a palavra fustigar com a vara. A palavra fustigar, tem sentido de açoitar, castigar, maltratar, estimular e excitar, porém o maior sentido para a correção da criança com amor e carinho quer dizer: Bater (figurado) com algo flexível que não deixe hematomas ou machas.
 
 
d)    A condição da mulher na família passada: A mulher tinha poucos privilégios ou quase nada, tanto em sociedade como em família.
             I.        A solteira vivia sob a tutela do pai ou de um guardião;
            II.        Era tratada como prenda de valor, sendo comprada pelo seu futuro esposo;
           III.        Poderia ser vendida como escrava Ex. 21.7 "Se alguém vender sua filha por serva, não sairá como saem os servos";
          IV.        Por normas só os filhos do sexo masculino poderia receber herança, o filho mais velho tinha direito da maior porção.
 
e)    Acordo nupcial: No compromisso nupcial, o casal trocavam anéis ou braceletes, contrato esse firmado entre duas testemunhas. A moça era paga, o pai da noiva dava um dote que poderia ser serventes, presentes ou dinheiro.
 
4.    Conceitos gerais na família passada
 
            A pesar de ser uma família patriarcal, há textos bíblicos que mostra tanto o pai quanto a mãe em um mesmo plano Genesis 1.26-27, na criação e perpetuação da raça; Êxodo 20.12, a honra ao pai e mãe; Juízes 5.7, "até que me levantei por mãe em Israel" - a juíza que se levantou por mãe a Israel (Débora); Provérbios 1.8, "ouvi a doutrina do pai, e não deixar a correção da mãe"; Provérbios 6.20, "ouvi o mandamento do pai e não deixar a lei da mãe".
            No entanto meus amados, na família passada ouvem desvio da fé, tanto quanto temos em nossos dias. Muitos profetas do Antigo Testamento levantaram a voz para fazer o povo de Deus voltar a uma relação familiar bem sucedida, como parte integrante de seu compromisso com Deus.
 
Por aqui encerramos a primeira parte deste estudo, próxima segunda-feira prosseguiremos com o estudo da Palavra de Deus. Até lá!
 
 
 
Jaime Bergamim
 
Bacharel em Teologia
Mestrado em Psicologia Pastoral
Pedagogo.
 

 


Outras Mensagens

Lista Completa

Templo


Rua dos Eucaliptos – Nº 732 – Jardim Eucaliptos – Colombo / PR – CEP 83408-485
Fone: (41) 3055-1922 | contato@adcolombo.org.br