Mensagens

Mudança do Papel da Mulher na Sociedade Moderna

foto
A FAMÍLIA E SUAS DIFICULDADES NO SÉCULO XXI _Texto Bíblico Sl. 11:3  (continuação Parte 2)
 
II. Mudança do Papel da Mulher na Sociedade Moderna
 
1. O que isso afetou:
 
É tarefa urgente de família tornar-se consciente da realidade da mudança do papel da mulher. O inicio da grande mudança no papel feminino, ocorreu ainda no século passado (século XX), e se deve a dois eventos básicos:
 
       a. Direito político de voto
 
       Em 1920 no EUA, a mulher ganhou o direito de votar e ser votada.
       Em 1932, foi à vez de Brasil conceder também esse direito a mulher.
 
       b. O direito e decisão de procriação
 
       A mulher toma consciência que é dona de seu corpo, e não apenas um objeto de prazer do homem. Com a descoberta das pílulas anticoncepcionais, o papel da mulher submissa e procriadora foi modificado no casamento. As idéias velhas foram renovadas. Com essa mudança do papel da mulher, a família começa a perder parte de sua estrutura. Assim nos resta perguntar: o que a mulher está esperando do homem, e o que o homem está esperando da mulher? Essa inversão de valores, não parece, mas mudou o conceito de família. A educação dos filhos poderá ser afetada com essas mudanças, se o casal não souber administrar bem essa situação. É dentro do lar (família) que os filhos terão suas primeiras bases estruturais e suas responsabilidades construídas e valores éticos e morais como futuros homens e mulheres. Se fracassar nesse ponto, será difícil construir o futuro. “Se a base está destruída, que poderá fazer o Justo?” Sl. 11. 3.
      Já que a sociedade e instituições educativas não estão preocupadas com esse tema, é preciso nós, famílias constituídas nos preocuparmos. Aqui o que deve ficar bem claro e que pais e mães são os educadores e formadores básicos do contingente humano que se renova a cada geração. “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”. Pv. 22:6.
 
      c. Quanto ao homem
    
       A mudança do papel da mulher também modificou o papel do homem. O homem passou a ser competidor do sexo feminino. A figura do homem marido passou a ter menos importância para a mulher, porque ela conquistou em parte a sua independência, o que abriu caminho para certas atitudes perigosas que veremos logo mais. Em nenhum ponto queremos defender o machismo, mas somente apresentarmos o padrão bíblico para o homem e para mulher do século vinte e um.
 
2. Mudança no papel de Progenitora
 
       As meninas estão sendo precocemente preparadas para aspirarem profissões que possam torná-las independente economicamente e em todos os aspectos da vida. Há uma despreocupação pedagógica, quer da família, quer da escola, para desenvolver habilidades que são úteis na vida familiar, o campo em que, ainda, é a mulher que terá que se dar integralmente. Por quê?  Porque os filhos pequenos necessitam e não está havendo educação coerente para o papel de ser mãe. Temos percebido que a fusão da mulher e do homem dentro e fora do lar está muito confusa. Há mais competição desenfreada do que harmonia de trabalho cooperativo. O estereótipo do marido que chega cansando do trabalho está contaminando a mulher que também trabalha fora. No entanto, casa e filhos estão lá para serem cuidados.
       Com a mudança do papel, a mulher precisa solicitar auxilio de estranho para cuidar dos filhos. Assim aquela intimidade de mãe no crescimento dos filhos vai se perdendo á medida que os filhos vão ficando adultos, criando distanciamento no papel da maternidade que só a mãe pode dar. Os filhos que estão chegando ao século XXI, estão sendo educados por babas eletrônicas (televisão). Quando esses são colocados em creches, crescem como filhos que só tem o lar como dormitórios. Assim, as crianças são colocadas precocemente na escola, e aprendem certas agressividades, diferente da conduta que deveria ser ensinada em casa. A menina tanto quanto o menino, antes de ter papéis familiares definidos e organizados, passam a confrontar o que a mãe diz ou pede, com o que a professora disse ou pede, com o que a amiguinha também faz. A sexualidade feminina passou a ser mais machista, do que mesmo ocupar e desenvolver o seu papel de mulher, mãe e esposa. A mulher precisa ter qualidade, das quais, depende a felicidade do lar.
 
Não perca o estudo da próxima semana onde abordaremos sobre: AUTORIDADE DO MARIDO COMPROMETIDA.
 
Até lá!
 
 
Pb. Jaime Bergamim
Bacharel em Teologia
Mestrado em Psicologia Pastoral
Pedagogo
 
 
 
 

Outras Mensagens

Lista Completa

Templo


Rua dos Eucaliptos – Nº 732 – Jardim Eucaliptos – Colombo / PR – CEP 83408-485
Fone: (41) 3055-1922 | contato@adcolombo.org.br