Mensagens

A Bíblia é a palavra de Deus?

foto

                 Recentemente surpreendi-me com uma pergunta postada numa rede social para debate questionando se a Bíblia é a Palavra de Deus. Já tinha ouvido e lido tal afirmação quando estudava algumas disciplinas teológicas. Mas minha surpresa foi pelo fato do questionamento ter vindo de pessoas que pelo tempo de conversão já deveriam ter tal assunto bem resolvido em suas mentes. Desta surpresa veio o propósito de relembrar os argumentos que trago a seguir, baseado em estudos feitos anos atrás.

  O termo "BÍBLIA" vem do grego, "bíblia", que é o plural de "bíblion", livro. Portanto, significa livros. Com o tempo, esse vocábulo terminou sendo usado para designar as Sagradas Escrituras. Por volta do século II D.C., os cristãos gregos já chamavam suas Escrituras Sagradas de Bíblia, ou seja, "Livros". Quando esse título foi então transferido para a versão latina, foi traduzido no singular, dando a entender que o Livro é a Bíblia. Usar o nome Bíblia como argumento para afirmar que o conjunto dos 66 livros sagrados não é a Palavra de Deus é fruto de pura ignorância. Os escritos sagrados já existiam muito antes dos cristãos utilizarem uma palavra comum ao seu vocabulário para identificá-los. O nome que se deu ao conjunto destes livros é o que menos importa. A mensagem é que os define como Palavra de Deus. Não significa dizer que Deus não continue falando. Ele continua agindo através do Seu Espírito que nunca se contradiz com os princípios que já foram registrados nas Escrituras. O próprio Jesus, que é o Verbo Vivo de Deus, declarou que erramos se não conhecermos as Escrituras e nem o poder de Deus (Mt 22.29). E ele estava referindo-se ao Antigo Testamento. Toda a Palavra de Deus, revelada nos livros que juntos foram chamados de Bíblia testificam de Jesus. Ele continua falando através da Sua Palavra.
 
  Há uma diferença entre a Bíblia e todos os demais livros. Existem muitos livros bons neste mundo que deixam a impressão inconfundível de que Deus ajudou os autores a escrevê-los. Mas nem mesmo os autores mais piedosos teriam a presunção de alegar que seus livros foram escritos por Deus. Entretanto é esta a afirmação que a Bíblia, faz sobre si mesma, e assim o povo de Deus, no decurso de milhares de anos, tem aprendido, compreendido e asseverado. A Bíblia é a Palavra de Deus, no sentido que não se aplica a nenhum outro livro do mundo. 2 Tm 3.16 diz: "Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para instruir, para refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda boa obra." A palavra "inspiração" significa "soprado por Deus", ou seja, "que passou pelo hálito de Deus" (Jó 32.8). É o processo mediante o qual as Escrituras, a saber, os escritos sagrados, foram revestidos de autoridade divina no que concerne à doutrina e à prática (2 Tm 3.16,17). Esse revestimento divino foi dado aos escritos e não aos escritores. No entanto, estes foram movidos pelo Espírito para escreverem suas mensagens vindas de Deus (2 Pe 1.21). Portanto, a inspiração, quando vista como processo total, é fenômeno sobrenatural ocorrido quando escritores movidos pelo Espírito registraram mensagens sopradas por Deus.
 
Existem três elementos nesse processo total de inspiração: a causa divina, a mediação profética e a resultante autoridade de que se reveste o documento.
A INSPIRAÇÃO IMPLICA EM:
1 - Que a Bíblia teve origem no Senhor Deus - Jeremias 30.2 - Êxodo 24.4;
2 - Que a Bíblia não tem origem no homem - II Pedro 1.21
3 - Que a Bíblia é a Verdade de Deus - Salmos 119.160
4 - Que as Palavras da Bíblia não fracassam, nem passam - I Pedro 1.24-25
5 - Que a Bíblia é a exata expressão da Verdade revelada pelo Espírito Santo - João 14.26 - Salmos 1
 
  Sem considerar as idéias a respeito de como seus livros chegaram a forma atual, o grau de prejuízo do texto bíblico nas mãos de redatores e escribas ao ser transmitido, a questão de quanto deve ser interpretado ao pé da letra e quanto deve ser aceito com sentido figurado ou qual parte da Bíblia é historia e qual é poesia - se simplesmente admitirmos que a Bíblia é exatamente o que se apresenta e estudarmos seus 66 livros para lhes conhecer o conteúdo, verificaremos nela uma unidade de pensamentos a revelar que uma única Mente inspirou a redação e a compilação de todos os seus livros. Observamos que ela traz em si o sinete de seu Autor,sendo ela, de modo inigualável, a Palavra de Deus. 
  A Bíblia é a narrativa do esforço de Deus por revelar-se à humanidade. É o registro do próprio Deus quanto ao seu trato com os homens, no desdobramento da revelação que fez de si mesmo à espécie humana. A Bíblia é a vontade revelada do Criador de toda a humanidade, transmitida às suas criaturas pelo próprio Criador para lhes servir de instrução e direção nos caminhos da vida.
  Há erros na Bíblia? Não! Críticos afirmam que a Bíblia está cheia de erros. Alguns falam, até mesmo, em milhares de erros. A verdade é que não há nem mesmo um só erro no texto original da Bíblia que tenha sido demonstrado. Não podemos negar que há dificuldade de interpretação em alguns textos. Mas a Bíblia é a Palavra de Deus, e Deus não pode errar. Vamos raciocinar. Vamos tratar isto de uma forma lógica examinando as premissas: Deus não pode errar. A Bíblia é a Palavra de Deus. Portanto, a Bíblia está isenta de erros. Como qualquer estudante de lógica sabe, este é um silogismo (uma forma de raciocínio) válido. Assim, se as premissas são verdadeiras, as conclusões também são verdadeiras. Jesus referindo-se ao AT como sendo a Palavra de Deus, que "não pode falhar"(Jo 10.35). Ele disse: "até o céu e a terra passem, nem um j ou til passará da Lei, até que tudo se cumpra" (Mt 5.18). Ela veio da "boca de Deus" (Mt 4.4). Embora tenham sido homens aqueles que escreveram as mensagens, "nunca, jamais, qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo" (2 Pe 1.21). Jesus disse aos líderes religiosos de seus dias que eles vinham "invalidando a palavra de Deus" pela sua própria tradição (Mc 7.13). Jesus chamou-lhes a atenção para a Palavra de Deus escrita quando repetidamente afirmou: "Está escrito...está escrito..está escrito" (Mt 4.4,7,10). Esta frase aparece mais de 90 vezes no NT. É uma forte indicação da autoridade divina da Palavra de Deus escrita. Dando ênfase à natureza inerrante da verdade de Deus, o apóstolo Paulo referiu-se às Escrituras como "a palavra de Deus" (Rm 9.6).
  Naturalmente, toda vez que Deus tornou a verdade bem clara, a estratégia de Satanás foi lançar dúvidas sobre ela. Sempre que Deus falou com autoridade, o diabo desejou solapá-la. "Será que Deus disse isso?", ele fala com escárnio (cf Gn 3.1). Esta confusão, com freqüência, acontece da seguinte maneira: A Bíblia é a Palavra de Deus, inspirada de alguma forma, mas é também constituída de palavras humanas. Ela teve autores humanos, e "errar é humano". Daí, temos de esperar haver alguns erros na Bíblia ...Por ai via esse argumento. Esse resumo, a verdade clara e simples de Deus acaba sendo confundida com a mentira de Satanás, o senhor das mentiras (Jo 8.44).
  Vamos analisar o que á de errado nesta argumentação. Uma simples analogia nos ajudará. Considere o seguinte raciocínio que, por ser paralelo àquele, é igualmente falho:
1. Jesus era um ser humano.
2. Os seres humanos pecam.
3. Logo, Jesus pecou.
 
Qualquer estudante da Bíblia sabe de imediato que esta conclusão é falsa. Jesus foi um homem "sem pecado" (Hb 4.15). Ele "não conheceu pecado" (2 Co 5.21) "Ele foi um cordeiro sem defeito e sem mácula" (1 Pe 1.19). Mas se Jesus nunca pecou, então o que está errado no argumento acima, de que Jesus era humano, de que os homens pecam e de que, portanto, Jesus pecou? Onde é que a lógica se perde? O erro está em se assumir que Jesus era como qualquer outro ser humano. Com certeza, meros seres humanos pecam. Mas Jesus não foi um mero ser humano. Ele foi um ser humano perfeito. De fato, Jesus não era apenas humano, mas ele era também Deus. Da mesma forma a Bíblia não é meramente um livro humano. Ela é também a Palavra de Deus. Como Jesus, ela é tanto divina como humana. E da mesma forma como Jesus era humano, mas não pecou, também a Bíblia é um livro humano, mas sem erros. Tanto a Palavra viva de Deus(Cristo) como a sua Palavra escrita(as Escrituras) ao igualmente humanas, mas sem erros. A Palavra viva e a Palavra escrita são também divinas, e não podem conter erros. Não pode haver erros na Palavra de Deus escrita, como não houve pecado algum na Palavra de Deus viva. É impossível Deus errar, e ponto final. Entretanto, não significa que não hajam dificuldades na interpretação da Bíblia. Como Agostinho observou com sabedoria: "Se estamos perplexos por causa de qualquer aparente contradição nas Escrituras, não nos é permitido dizer que o autor desse livro tenha errado; mas ou o manuscrito utilizado tinha falhas, ou a tradução está errada, ou nós não entendemos o que está escrito". Os erros não se acham na revelação de Deus, mas nas falhas interpretações dos homens. Para estudo mais aprofundado indico o Manual Popular de Dúvidas, enigmas e "contradições" da Bíblia da Editora Mundo Cristão, do qual retirei a maioria dos argumentos aqui apresentados.
  Os que defendem que há erros na Bíblia ou que ela não é a Palavra de Deus, na verdade, sabem muito pouco sobre a Bíblia. Basear-se em opiniões de sites e concluir sem apurado estudo com base em fontes fidedignas e de autoridade histórica e eclesiástica é no mínimo perigoso.
  Concluo com a declaração de Mark Twain: "Não são as partes da Bíblia que não entendo que mais me incomodam, mas as partes que compreendam, esta sim, me incomodam".  
 
Com amor e temor, Pra.Geysa Carneiro de A B Pereira
 
 
 

Outras Mensagens

Lista Completa

Templo


Rua dos Eucaliptos – Nº 732 – Jardim Eucaliptos – Colombo / PR – CEP 83408-485
Fone: (41) 3055-1922 | contato@adcolombo.org.br